Jodelle de Asshai [Luan]

GoT RPG :: Off :: Fichas

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Jodelle de Asshai [Luan]

Mensagem por Jodelle de Asshai em Sex Fev 05, 2016 5:45 pm

Jodelle

43 • N/C • Sacerdotiza Vermelha/Musa/Espiã • Lucy Lawless



Vantagens e Desvantagens

Vantagens:
- Sentidos aguçados
- Poliglota
- Eloquente
- Rosto na multidão

Desvantagens:
- Devota de R’hllor
- Egocêntrica
- Estéril
- Bissexual



Características Fisicas e Psicológicas

Jodelle tem como lema de vida “Meus fins justificam meus meios”. É o tipo de pessoa que faz o que for necessário para conseguir o que almeja. Encontrou sua missão de vida servindo ao deus R’hollor em seus templos. Sua vida só tem lugar para si mesma e para sua fé. Apesar de ser bastante amorosa com quem necessita, não hesita em eliminar quem estiver em seu caminho. Possui um instinto de vingança perseguidor, podendo submeter sua vida a situações complicadas para vingar-se de alguém. É bastante irônica e possui um certo senso de superioridade. Seus cabelos avermelhados em um tom escuro conferem a Jodelle um certo charme, mas ela não se preocupa muito com isso apesar de possuir certa beleza natural. É relativamente alta, com 1,77m. Seu rosto é ligeiramente quadrado e largo, com olhos verdes esmeralda e lábios finos e avermelhados e a pele bronzeada. É corpulenta, com seios fartos e uma cintura bem desenhada, tal qual esconde em seus vestidos grandes de cor avermelhada.



História do Personagem

Jodelle é conhecida por sua fé em R’hllor e por ser totalmente devota ao deus da luz. Traz consigo a magia dos sacerdotes vermelhos e é nomeada como tal. Mas isso é apenas parte da vida da mulher. A garota se juntou ao templo do deus da luz quando tinha por volta dos 18 anos, já um pouco velha que o habitual, mas sua história começa muito antes de tal acontecimento. Nasceu em uma pobre família em Asshai, uma cidade portuária localizada a Extremo leste de Westeros, as vezes citada como fim do mundo. Sequer tinham comida suficiente para todos em casa. Mãe, pai e quatro irmãos. Cresceu negligenciada pela fome e pela pobreza, apesar de ser amada pelos pais e ser protegida pelos irmãos - era a mais nova dentre os cinco. Carregava consigo o fardo de tirar a família da pobreza, já que era a única mulher e poderia casar-se com um lorde ou príncipe rico. Aprendeu a falar, vestir-se e comportar como uma dama e aceitava tal ideia como a missão de sua vida. Aos 14 anos, foi prometida a um nobre príncipe mercante que governava Pentos, uma das cidades Livres. Sua família acabou recebendo subsídio graças à garota, que mudou-se para a cidade de seu futuro esposo e conseguiu então uma carreira como espiã e um futuro trono. Eis o momento do casamento. Jodelle estava perfeita. Nada podia dar errado daqui pra frente. Seu príncipe a cortejou e presentes foram enviados a sua família: sua missão de vida havia sido cumprida. Sua família era grata e a garota não podia estar mais feliz.

A noite de núpcias veio e com ela a promessa de um herdeiro. O príncipe de Pentos pedia um filho de Jodelle e ela estava determinada a lhe conceder tal presente em retribuição ao favor que ele fizera a sua família. Ela estava com 16 anos. Como nem tudo são rosas, a garota descobriu-se como amaldiçoada, tal como disseram os habitantes de Pentos e seu próprio marido. Amaldiçoada com a infelicidade de não gerar um filho. De uma princesa batalhadora se tornou uma vergonha para a realeza e, principalmente, para sua família. Tal que fora caçada e morta em resposta a grande vergonha de Jodelle. As palavras que ouviu de seu próprio marido e o terrível destino de sua família foram duras para Jodelle, e aquilo acabou tornando a solitária, amarga e vingativa. Amaldiçoada, escória, vergonha foram os títulos que acabou recebendo por entre Essos. Uma semente fora plantada em seu coração e ela decidiu fugir. Fugiu para Myr, uma das cidades livres. Lá, encontrou a escravidão. Fora vendida como prostituta para um dos grandes templos do deus R’hllor. Sua introdução à vida no templo havia sido terrível. Jodelle era negligenciada e abusada sempre, e aquilo doía seu coração. Mas o destino ainda lhe reservava uma vida melhor. Em um dos inúmeros rituais noturnos liderados pelos Sacerdotes Vermelhos, Jodelle recebeu uma visão pelo fogo e uma promessa. Fora chamada para servir diretamente ao deus da luz: o grande deus tinha visto todo seu sofrimento e a escolheu para servi-lo; naquele momento se tornaria uma sacerdotisa vermelha. Sua vida voltou a ter um rumo novamente. A garota, agora com 18 anos, aprendeu toda a cultura e fé do deus R’hllor com paixão e gratidão. Tornou de sua servidão no templo uma missão de vida. Era bastante conhecida entre os templos devido a sua devoção fervorosa e seus títulos de vergonha entre Essos mudaram: agora ela era a protegida de R’hllor, a humilhada que tornou-se serva do deus da luz. Passou 25 anos de sua vida servindo nos templos e realizando missões missionárias em nome de R’hllor. Chegou a usar seus dons inúmeras vezes, ora como uma missionária em missão realizando milagres, outrora como uma protetora de sua fé e templo contra céticos e pessoas mal intencionadas. Então, o grande dia de sua vingança veio. Em outro grande ritual, Jodelle recebeu a visão de sua vingança contra aquele que matou seus pais e a humilhou: seu ex-marido. Era o que tanto esperava! Só não esperava que seria tão rápida como foi: no dia seguinte, o grande templo recebeu a visita do tal príncipe nomeado. Todos o conheciam pela humilhação que fez Jodelle, a grande sacerdotisa, passar. E todos esperavam pelo poder que o deus da luz demonstraria contra o rapaz. Jodelle esperava ver aquele homem morto, queimado na fogueira como em um grande ritual de agradecimento a mais uma benção de R’hllor. Mas o que recebeu foi totalmente diferente. O principe, ao chegar no templo, pediu para que chamassem a mulher que um dia deitou-se com ele. E, lá estava Jodelle e seu ex-marido. Frente a frente. Ambos de queixo levantado. A sacerdotisa esperando para poder queimá-lo. Eis… que ele se prostra frente a ela. A humilhação havia sido vingada, mas por que aquilo? O principe tinha a resposta: R’hllor o havia mandado ali. O grande deus da luz havia mandado o príncipe para se redimir frente aquela mulher e aquele templo. Sua vingança teve meios curiosos de se realizar. Mas, é claro, ela nunca o perdoou por sua família. Apesar dele ter doado uma grande parte de seu dinheiro áquele templo, em demonstração de arrependimento.

Aos 42 anos, em um dos grandes rituais que presidiu, recebeu mais uma visão do grande deus em meio as chamas. Ele a mandava partir para o grande continente de Westeros em missão missionária. Graças a sua devoção e grande comprometimento, seria enviada para realizar grandes coisas naquele continente, como foram as palavras em sua visão. Nos ritos posteriores, mais informações seriam dadas a ela. Uma pessoa com grande nome em Westeros, e também devota a R’hllor, a ajudaria em sua jornada e ela teria uma missão especial diretamente ligada ao rei do continente. Com uma promessa em seu coração e uma missão a cumprir, Jodelle partiu. Um ano depois de suas visões. Trazia consigo na mala todos aqueles anos de luta e experiência e, com a proteção de R’hllor, voltaria para casa com vitória. Uma chama nova ardia em seu coração, como nos tempos em que vivia com sua família.




The night is dark and full of terrors...but the fire burns them all away.
     
Above me, the Great God of Light; below me, only the ashes of my enemies .
avatar
Jodelle de Asshai

Mensagens : 4
Origem : Asshai
Posição em Westeros : Sacerdotisa Vermelha, Criada e Espiã.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


GoT RPG :: Off :: Fichas

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum